BC mantém ritmo e eleva Selic a 13,75%, mesmo patamar de dezembro de 2008

quarta-feira, 3 de junho de 2015 21:56 BRT
 

Por Marcela Ayres

BRASÍLIA (Reuters) - O Banco Central manteve o ritmo de aperto monetário e elevou a taxa básica de juros em 0,50 ponto percentual nesta quarta-feira, para 13,75 por cento ao ano, levando a Selic ao mesmo patamar de dezembro de 2008, em meio a um cenário de inflação persistentemente alta e queda na atividade econômica.

A decisão do Comitê de Política Monetária (Copom) foi unânime e em linha com a expectativa de economistas ouvidos em pesquisa Reuters e do mercado de juros futuros.

O BC repetiu o comunicado da reunião anterior, ao dizer que decisão foi tomada "avaliando o cenário macroeconômico e as perspectivas para a inflação".

Para economistas, ao repetir o comunicado, o BC deixou a porta aberta para uma nova elevação dos juros.

"Isso significa que o ciclo continua e a minha expectativa é de (uma alta de) 25 (pontos básicos) na reunião de julho. Óbvio que vai depender do que acontecer com a expectativa de inflação em 12 meses até chegar lá. Se melhorar, deve haver outra (alta) de 25 e encerra o ciclo", disse o economista-chefe do Banco Fator, José Francisco de Lima.

A equipe de economistas do Credit Suiss aposta que os juros subirão ainda mais, para 14,25 por cento, em julho.

Mesmo reconhecendo que o Copom, ao repetir o comunicado, pode ter sinalizado que os juros continuarão subindo, alguns economistas, contudo, acreditam que a economia fraca levará o BC a encerrar o ciclo de aperto.

"Acreditamos que a atividade em queda deve convencer o Copom a interromper o ciclo depois da alta de hoje", disse o economista-chefe do Itaú, Ilan Goldfajn. "Entendemos que o Copom concluirá que a Selic no patamar atual, de 13,75 por cento, já é suficiente para promover uma desinflação importante em 2016."   Continuação...

 
Presidente do Banco Central, Alexandre Tombini, durante audiência na Câmara dos Deputados em Brasília 26/05/2015. REUTERS/Ueslei Marcelino