Custo de energia passa a ser 2ª maior despesa de supermercados

quarta-feira, 10 de junho de 2015 19:27 BRT
 

Por Luciana Bruno

SÃO PAULO (Reuters) - Os supermercados brasileiros estão adotando ou acelerando projetos de eficiência energética após os aumentos das contas de eletricidade desde o fim do ano passado, que já afetaram os resultados do primeiro trimestre.

    Estimativas de associações do setor indicam que os custos com energia elétrica passaram a ser a segunda maior despesa em algumas redes supermercadistas, superando aluguel e só atrás da folha de pagamento.

    As empresas não detalham nos balanços os custos com energia, mas no Grupo Pão de Açúcar, maior do país, a despesa com vendas, gerais e administrativas, que inclui eletricidade, subiu 16,8 por cento no primeiro trimestre na comparação anual.

    Segundo a Sociedade Brasileira de Varejo e Consumo (SBCV), a conta de energia elétrica das redes subiu até 40 por cento desde o fim de ano passado.

    "Como essa despesa chega a representar 1 por cento do faturamento do supermercado, um aumento de até 40 por cento tem impacto de 0,4 por cento", disse o presidente da SBCV, Eduardo Terra. "Isso é monstruoso", completou.

No Estado de São Paulo, a despesa média com energia subiu de 0,9 por cento do faturamento dos supermercados no ano passado para 1,7 por cento este ano, de acordo com a Associação Paulista de Supermercados (Apas), superando os gastos com aluguel, que respondem por de 1 a 1,5 por cento do faturamento. "Foi a primeira vez que isso aconteceu", disse Erlon Ortega, vice-presidente da associação.

O preço da energia elétrica, após uma série de reajustes por conta da seca que afetou os reservatórios das hidrelétricas, acumula alta no ano até maio de 41,9 por cento e, em 12 meses, de 58,5 por cento, segundo cálculos do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística.[nL1N0YW0XF]

    No varejo, os supermercados são os que mais consomem energia, já que, além de computadores, iluminação e ar condicionado, vendem produtos refrigerados, que demandam muita energia.   Continuação...

 
Cliente checa preços em supermercado de São Paulo 10/01/2014.  REUTERS/Nacho Doce