Administração da Bombardier estará sob holofotes com estreia do CSeries em Paris

quinta-feira, 11 de junho de 2015 14:46 BRT
 

Por Allison Martell e Allison Lampert

TORONTO/MONTREAL (Reuters) - O jato de passageiros CSeries, da Bombardier, finalmente estreará na Paris Airshow neste mês, mas o evento também fará a companhia canadense exibir o que pode ser um ativo ainda mais importante: sua nova equipe de administração.

Em um momento em que o CSeries se aproxima de obter certificação de reguladores após anos de atrasos e ultrapassagens de limites de custos, Paris oferece uma oportunidade para que a Bombardier melhore seu livro de encomendas ao conquistar novas vendas, ou ao menos preparar o terreno para futuros acordos.

O evento também é uma espécie de estreia para o novo presidente-executivo, Alain Bellemare, e a equipe que ele reuniu para colocar o programa do CSeries novamente nos trilhos.

A fabricante de aeronaves baseada em Montreal não anunciou uma única encomenda firme do CSeries desde setembro, e nenhuma das encomendas tentativas anunciadas na feira de Farnborough na Grã-Bretanha no ano passado foi convertida em encomendas firmes.

Analistas urgem há tempos a Bombardier a ser mais agressiva para obter pedidos, oferecendo direitos arriscados de desistência e outras permissões que podem deixar o programa deficitário por meses.

A Bombardier, que estima os investimentos no CSeries em 5,4 bilhões de dólares, registrou 243 encomendas firmes desde 2009, e mira obter 300 antes de sua entrada em serviço, esperada para o primeiro semestre de 2016. A rival Embraer anunciou 242 encomendas para seu jato similar E-Jet E2 desde 2013.