ENTREVISTA-Agroconsult prevê volume histórico de exportação de grãos no 2º semestre

quinta-feira, 11 de junho de 2015 16:21 BRT
 

Por Gustavo Bonato

SÃO PAULO (Reuters) - O embarque de grãos pelos portos brasileiros no segundo semestre deverá ser o maior da história, impondo desafios operacionais para as empresas do agronegócio, com o mês de agosto despontando com volumes recordes nas exportações combinadas de soja e milho, segundo estimativas da consultoria Agroconsult.

O Brasil está no pico dos embarques de uma safra recorde de soja, de 96 milhões de toneladas, e a partir de agosto começa a exportar uma também recorde segunda safra de milho, de 51,4 milhões de toneladas.

"Está tudo muito no limite, principalmente no mês de agosto. Não pode dar nada errado", disse à Reuters o analista Marcos Rubin, sócio da Agroconsult, referindo-se aos desafios logísticos de exportar tais volumes.

A consultoria utiliza metodologia própria para estimar os embarques de grãos do país, tomando como base os dados das escalas de navios que aportam no Brasil, divergindo dos números oficiais da Secretaria de Comércio Exterior (Secex).

"Este ano existe uma diferença bastante significativa entre o que a Secex alega ter sido exportado de janeiro a maio de soja e o que os 'line ups' indicam", afirmou Rubin, para quem os registros oficiais da alfândega brasileira podem sofrer atrasos em função da burocracia e outros fatores.

Pela estimativa da Agroconsult, nos cinco primeiros meses do ano, o Brasil exportou 27 milhões de toneladas de soja e 3,1 milhões de toneladas de milho, totalizando 30,1 milhões de toneladas. Pela Secex, os embarques combinados foram de 27,6 milhões de toneladas.

Entre junho e dezembro, a projeção é que sejam exportados 22 milhões de toneladas de soja e mais 24 milhões de toneladas de milho, somando 46 milhões de toneladas. Até agora, o melhor desempenho para esse período foi em 2013, com volumes combinados de 39 milhões de toneladas.

Os meses de junho, julho e agosto deverão ser os mais movimentados para a oleaginosa, com exportações de 20 milhões a 21 milhões, restando apenas volumes marginais para os meses de setembro a dezembro.   Continuação...