ANP prevê crescimento de até 2% nas vendas de combustíveis este ano no país

quinta-feira, 11 de junho de 2015 19:11 BRT
 

SÃO PAULO (Reuters) - As vendas totais de combustíveis no Brasil devem crescer entre 1 por cento e 2 por cento em 2015 ante 2014, em um ritmo mais fraco do que em anos anteriores, por impacto da crise econômica, afirmou nesta quinta-feira o superintendente de Abastecimento da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP).

“Nós estimamos que ainda vai ser um ano de crescimento, porém não tão expressivo como foi nos últimos quatro, cinco anos, que cresceu em uma média de 5/6 por cento”, disse Aurélio Amaral em entrevista a jornalistas, após participar de um seminário no Instituto Brasileiro de Petróleo, Gás e Biocombustíveis (IBP).

O motivo para o crescimento mais fraco das vendas, segundo o executivo, é o desaquecimento da economia brasileira.

“Todos os setores da economia foram de certa maneira impactados por essa crise nesse momento de dificuldade que passa o país.”

Outra mudança, segundo o executivo, é na relação entre o crescimento das vendas de combustíveis e do PIB. Há anos os combustíveis vêm crescendo muito acima da economia brasileira. Neste ano, a expectativa é que o mercado de combustíveis fique mais próximo do desempenho do PIB.

DIESEL E GASOLINA

Segundo o executivo, as vendas de diesel e gasolina no Brasil devem fechar com crescimento “bem menores” neste ano, devido à fraqueza do consumo observada.

O etanol hidratado, por outro lado, deve apresentar crescimento mais expressivo, devido a melhoria da competitividade em relação a gasolina, que além de sofrer um reajuste no fim de 2014, foi mantida com valores mais elevados do que os praticados pelo mercado externo durante grande parte do ano.

(Por Marta Nogueira)