Primeiro-ministro grego mantém linha dura enquanto contágio atinge bônus da zona do euro

terça-feira, 16 de junho de 2015 10:04 BRT
 

Por Lefteris Papadimas e Karolina Tagaris

ATENAS (Reuters) - O primeiro-ministro grego, Alexis Tsipras, disse a líderes da oposição nesta terça-feira que o impasse nas negociações é culpa dos desentendimentos entre credores internacionais, mantendo uma linha dura que trouxe a Grécia à beira do calote.

Os mercados financeiros, por muito tempo não perturbados pelas disputas sobre a liberação de bilhões de euros em financiamento à Grécia, reagiram com alarme crescente, com os mercados acionários europeus atingindo o menor patamar desde fevereiro. [nL1N0Z20DS]

Os yields de bônus emitidos por outros países vulneráveis da zona do euro saltaram em um dos episódios mais agressivos de contágio desde o auge da crise de dívida da Europa em 2012.

A Grécia está a caminho de dar o calote em um pagamento de 1,6 bilhão de euros ao Fundo Monetário Internacional (FMI) em 30 de junho a menos que receba novos recursos até lá, possivelmente levando o país a sair da zona do euro.

Tsipras disse que é crucial que seja fechado um acordo viável. No entanto, ele afirmou que a resistência de parceiros europeus a aceitar uma baixa contábil de parte da dívida grega está atrapalhando um acordo, apesar da pressão do FMI pela reestruturação.

"É crucial encerrar esse ciclo vicioso e não ser forçado a um acordo que, dentro de seis meses, nos trará de volta ao mesmo ponto", disse ele.

 
Primeiro-ministro grego, Alexis Tsipras, durante encontro em Atenas.   16/06/2015     REUTERS/Alkis Konstantinidis