Vendas no varejo caem 0,4% em abril, 3ª queda seguida e pior resultado para o mês em 12 anos

terça-feira, 16 de junho de 2015 11:11 BRT
 

Por Rodrigo Viga Gaier e Camila Moreira

RIO DE JANEIRO/SÃO PAULO (Reuters) - As vendas no varejo do Brasil recuaram 0,4 por cento em abril sobre o mês anterior, em um resultado inesperado que marca o terceiro mês seguido de queda e o pior resultado para o mês em 12 anos, refletindo a fraqueza que vem abatendo a economia do país.

Na comparação com o mesmo mês de 2014, as vendas varejistas caíram 3,5 por cento, informou o Instituto Brasileiro de Geografia a Estatística (IBGE) nesta terça-feira.

Em ambas as comparações, os resultados foram os mais fracos para um mês de abril desde 2003, quando as vendas no varejo também caíram 0,4 por cento na comparação mensal e recuaram 3,7 por cento em base anual. Aquele ano também foi o último em que o varejo registrou três meses seguidos de quedas nas vendas na comparação mensal.

As leituras também foram bem piores do que a mediana das expectativas em pesquisa da Reuters, que apontavam alta de 0,60 por cento na comparação mensal e queda de 1,75 por cento sobre um ano antes.

"O comércio reflete a dificuldade da economia. Preços altos, economia lenta, renda menor e fatores conjunturais menos favoráveis", destacou a coordenadora da pesquisa no IBGE, Juliana Paiva.

O IBGE ainda revisou a leitura de março sobre fevereiro para mostrar recuo de 1,0 por cento contra queda de 0,9 por cento divulgada antes. E também piorou o número de março sobre o mesmo mês do ano anterior para alta de 0,3 por cento, contra 0,4 por cento divulgado anteriormente.

Em 2015 até abril, as vendas já acumulam queda de 1,5 por cento e seguem no caminho de repetir 2003, última vez em que o ano fechou com recuo nas vendas, de 3,7 por cento.

"Claramente não é um ano favorável ao comércio. O consumo no Brasil diminuiu bastante com os fatores conjunturais desfavoráveis acompanhado de incertezas tanto da parte de empresas quanto de consumidores", completou Juliana.   Continuação...

 
Família escolhendo televisões em filial das Casas Bahia em São Paulo.  07/02/2013   REUTERS/ Nacho Doce