Fed diz que economia dos EUA está forte para aguentar alta de juros

quarta-feira, 17 de junho de 2015 18:48 BRT
 

Por Howard Schneider e Jonathan Spicer

WASHINGTON (Reuters) - A economia dos Estados Unidos está crescendo moderadamente após a fraqueza vista no inverno e provavelmente está forte o suficiente para aguentar um aumento de juros até o fim do ano, mas permanecem preocupações sobre a recuperação no mercado de trabalho, indicaram nesta quarta-feira autoridades do Federal Reserve, banco central norte-americano.

Com a economia ainda a caminho de crescer até 2 por cento este ano, o comunicado da última decisão de política monetária do banco central permanece rumo a pelo menos um e talvez dois aumentos de juros neste ano.

A chair do Fed, Janet Yellen, no entanto, enfatizou que a decisão ainda estaria no ar e dependeria de novas melhoras no mercado de trabalho.

Em uma coletiva de imprensa após o fim da reunião de dois dias de política monetária do Fed, Yellen disse querer "evidências mais decisivas" de que o mercado de trabalho estava se curando e que os salários aumentariam além do atual ritmo tênue.

Mesmo conforme o Fed parece estar se aproximando de uma decisão de proceder com um aumento de juros já em setembro, "alguma fraqueza cíclica no mercado de trabalho permanece", disse Yellen, apontando para a baixa taxa de participação da força do mercado de trabalho e o alto patamar de emprego de meio período.

Os comentários de Yellen provavelmente vão levar ainda mais as atenções aos dados a serem divulgados sobre mercado de trabalho e salários, uma vez que os mercados buscam sinais de que o crescimento econômico continuado está se traduzindo em mais empregos e maiores salários.

Após contrair no primeiro trimestre, a economia agora caminha para crescer entre 1,8 e 2,0 por cento neste ano, de acordo com o comunicado de política monetária e com as novas projeções divulgadas pelo Fed.

O Fed também disse que a taxa de desemprego deve ser levemente maior do que o previsto anteriormente no fim do ano, de 5,2 a 5,3 por cento, apesar da melhora contínua no mercado de trabalho. No mês passado, a taxa de desemprego foi de 5,5 por cento.

A inflação continua baixa, mas deve acelerar gradualmente para sua meta de 2 por cento no médio prazo, disse o Fed.

Ainda assim, o comunicado e as projeções mantêm o Fed no caminho para elevar os juros uma ou duas vezes ao longo das quatro reuniões restantes de política monetária em 2015.