Consumo de café cai nos EUA com expansão das cápsulas individuais

segunda-feira, 22 de junho de 2015 15:20 BRT
 

Por Luc Cohen

NOVA YORK (Reuters) - Os norte-americanos estão gastando mais dinheiro do que nunca com café, mas pela primeira vez em seis anos eles irão beber um volume menor, depois que a revolução provocada por máquinas de café em cápsula transformou os hábitos de preparo no país que mais consome a bebida no mundo.

O consumo de café nos Estados Unidos deverá cair para 23,7 milhões de sacas na temporada 2015/16, ante 24 milhões de sacas no período que termina em setembro, no primeiro recuo desde 2009/10, apontou na sexta-feira o Departamento de Agricultura dos EUA (USDA) em um relatório semestral.

O país será o único entre os oito principais consumidores mundiais de café a registrar um declínio no consumo, com a demanda global subindo quase 2 milhões de sacas, para 147,6 milhões de sacas.

O relatório reforça as evidências de que a popularidade das máquinas dose única, em um mercado dominado pela Keurig Green Mountain, está tendo um impacto tangível na demanda norte-americana por grãos de café verde, segundo participantes do mercado.

Ao consumir menos o café tradicional torrado e moído e mais café produzido para cápsulas, os norte-americanos preparam apenas o que planejam beber, reduzindo o volume que é jogado fora no ralo.

"As pessoas costumavam preparar uma garrafa de café, agora elas fazer uma xícaras", disse Pedro Gavina, proprietário da torrefadora Gavina & Sons, da Califórnia. "Atualmente nós estamos perdendo a pia como consumidora."

O uso de máquinas de café em cápsulas disparou em 2015, presentes hoje em mais 25 por cento dos lares norte-americanos, ante apenas 15 por cento em 2014, segundo pesquisa divulgada em março pela Associação Nacional de Café dos EUA, um índice que ainda não é tão alto em outros países.