Unidade de caminhões da Ford suspende atividades até 1º de julho, diz sindicato

segunda-feira, 22 de junho de 2015 18:35 BRT
 

RIO DE JANEIRO (Reuters) - A Ford paralisou nesta segunda-feira as atividades de sua unidade de caminhões, até o dia 30, colocando centenas de funcionários em regime de banco de horas.

"Com o objetivo de ajustar o ritmo de produção à demanda do mercado, a Ford suspenderá temporariamente a produção nas fábricas de carros e caminhões de São Bernardo do Campo", afirmou a companhia, em nota.

No caso da produção de automóveis, a suspensão acontecerá apenas no dia 26, afirmou a Ford.

Segundo o sindicato dos metalúrgicos de São Bernardo do Campo (SP), onde a unidade está localizada, cerca de 900 metalúrgicos ficarão parados. Em nota, a Ford informou que são aproximadamente 800 empregados em regime de banco de horas.

Sob este regime, o tempo parado é descontado das horas acumuladas do funcionário, quando a produção for retomada, de acordo com informações da assessoria de imprensa do sindicato.

A medida foi implementada devido aos estoques acima do desejado e demanda fraca. A previsão é que os funcionários voltem ao trabalho em 1º de julho.

A fábrica - que produz 12 modelos de caminhões leves e médios - faz parte de um complexo da Ford, incluindo uma fábrica de automóveis, e que reúne cerca de 4.400 operários, sendo 3 mil na área de produção e montagem de carros e caminhões.

Recentemente, eram produzidos até 14 caminhões por hora, ante média de 17 há dois anos. A produção de automóveis, que já chegou a 55 unidades ao dia, hoje está em cerca de 44.

Em São Bernardo do Campo há também fábricas das montadoras Volkswagen, Mercedes, Scania e Toyota.   Continuação...