Governo quer votar desoneração nesta semana, mas teme efeito de festas juninas sobre quórum

segunda-feira, 22 de junho de 2015 19:08 BRT
 

BRASÍLIA (Reuters) - O governo trabalha com a “pretensão” de votar o projeto que reverte parte da política de desoneração da folha de pagamento na Câmara dos Deputados ainda nesta semana, afirmou o ministro da Aviação Civil e integrante da articulação política, Eliseu Padilha, mas reconhece que as tradicionais festas juninas, populares no Nordeste do país, podem esvaziar a Casa.

O projeto estava pautado no plenário da Câmara na última quinta-feira, mas sua votação ficou inviável após notícias de apedrejamento a ônibus que transportava parlamentares oposicionistas brasileiros em visita a presos políticos na Venezuela. O clima esquentou e a análise do projeto passou para a próxima quarta-feira.

“Estamos na fase final do ajuste (fiscal) e a nossa pretensão é votar as desonerações nesta semana”, disse Padilha a jornalistas após reunião de coordenação política com a presidente Dilma Rousseff, ministros e parlamentares.

“A defecção que o São João possa trazer nós só saberemos na quarta-feira”, admitiu o ministro.

Segundo Padilha, a reunião teve como tema principal a pauta legislativa da semana. No Senado, a previsão é de votação da medida provisória 670, que reajusta a tabela do Imposto de Renda, votação que também pode sofrer com quórum baixo por conta das festas da bancada do Nordeste.

Ainda assim, o ministro se diz confiante na aprovação das propostas, e voltou a dar garantias de efetivação das emendas orçamentárias a parlamentares desta e da legislatura passada, incluindo os restos a pagar. Padilha afirmou que a Secretaria de Relações Institucionais tem 4,9 bilhões até o final do ano para liberar para emendas.

O ministro acrescentou ainda que as negociações de indicações para o segundo escalão do governo estão “praticamente definidas” e que o governo se debruça agora sobre cargos do terceiro escalão.

“Vamos ver se no curso desta semana a gente avança.... temos menos cargos do que pretensões”, disse.

Padilha minimizou ainda o recente noticiário negativo para o governo, afirmando que há pequenas melhoras na percepção popular sobre a economia e que isso deve se refletir na popularidade da presidente Dilma. Para o ministro, a fase de baixa avaliação “bateu no fundo do poço” e a expectativa é que comece a mostrar uma recuperação.   Continuação...