Petrobras diz que ainda elabora plano de negócios 2015-2019

quarta-feira, 24 de junho de 2015 11:33 BRT
 

SÃO PAULO/RIO DE JANEIRO (Reuters) - A Petrobras afirmou nesta quarta-feira em um curto comunicado que o Plano de Negócios e Gestão 2015-2019 ainda está em elaboração, após reportagens na mídia apontarem percentuais de cortes nos investimentos da estatal.

"Fatos julgados relevantes serão oportunamente comunicados ao mercado", limitou-se a dizer a estatal, sem informar uma data para a divulgação do plano, amplamente esperado pelo mercado.

A expectativa é que o Conselho de Administração da Petrobras discuta o tema em reunião na sexta-feira, dia 26.

O jornal Folha de S. Paulo publicou reportagem nesta quarta, sem citar fontes, afirmando que o plano de negócios da Petrobras deverá considerar uma redução de até 30 por cento nos investimentos em cinco anos. O Estado de S. Paulo, também sem citar fontes, disse que o corte dos investimentos pode chegar a 40 por cento.

O plano de negócios atual, que contempla o intervalo de 2014 a 2018, prevê investimentos de 220,6 bilhões de dólares no período.

Analistas e investidores esperam uma diminuição relevante dos investimentos no novo plano de negócios plurianual para que a petroleira --que está no centro do escândalo bilionário de corrupção da operação Lava Jato da Polícia Federal-- possa fazer frente ao pesado endividamento em seu balanço e a preços mais baixos do petróleo no exterior.

Abordado por jornalistas após participar de evento no Rio de Janeiro nesta quarta, o diretor de Gás da Petrobras, Hugo Repsold, se recusou a falar sobre o plano de negócios. "Estamos a dois dias da reunião do Conselho, qualquer coisa que eu falar aqui só vai estragar", afirmou.

Em 10 de junho, Repsold tinha dito em entrevista à Reuters que seria "muito difícil" de o plano de negócios ser discutido na reunião da próxima sexta-feira, pois não seria algo para "ser feito com pressa".

A petroleira já revelou, no fim de abril, orçamentos mais enxutos para 2015 e 2016, de 29 bilhões e de 25 bilhões de dólares, respectivamente, contra 35 bilhões de dólares no ano passado.   Continuação...

 
Sede da Petrobras, no centro do Rio de Janeiro. 04/03/2015. REUTERS/Sergio Moraes