Negociações sobre dívida grega falham antes de reunião de líderes da UE

quarta-feira, 24 de junho de 2015 19:35 BRT
 

Por Jan Strupczewski e Alexander Saeedy

BRUXELAS (Reuters) - As negociações para evitar um calote da dívida grega cambalearam nesta quarta-feira e ministros das Finanças da zona do euro acusaram a Grécia de não querer se comprometer, apesar do prazo da próxima semana que pode colocar o país rumo à saída do euro.

Líderes da União Europeia devem se reunir na quinta-feira, e a previsão é de que o primeiro-ministro grego, Alexis Tsipras, negociará durante a noite com os credores para buscar um acordo que prevê a liberação de recursos em troca de reformas antes da retomada da reunião dos ministros das Finanças da zona do euro às 8h (horário de Brasília) de quinta-feira.

A Grécia precisa pagar 1,6 bilhão de euros ao Fundo Monetário Internacional (FMI) na próxima terça-feira ou será declarada em default, potencialmente levando a uma corrida aos bancos e controles de capital, seguidos pela saída da unidade monetária.

Os ministros do Eurogrupo encerraram uma reunião de emergência convocada para aprovar um acordo após pouco mais de uma hora porque não havia acordo pronto para ser discutido.

"Infelizmente, nós ainda não chegamos a um acordo, mas estamos determinados a continuar trabalhando, este trabalho vai avançar durante a noite, se necessário", disse a jornalistas o presidente do Eurogrupo, Jeroen Dijsselbloem.

Ministros mostraram irritação por serem chamados para Bruxelas novamente apenas para esperar enquanto Atenas, o elo mais fraco dos 19 países que usam o euro, resistia a medidas sugeridas por seus credores como essenciais para equilibrar suas finanças públicas e tornar a economia mais competitiva.

Tsipras passou toda a tarde com o presidente da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker, a líder do FMI, Christine Lagarde, o presidente do Banco Central Europeu (BCE), Mario Draghi, e Dijsselbloem sem chegar a uma solução.

Quando os 19 ministros do Eurogrupo se reuniram, os negociadores não conseguiram produzir um rascunho devido a grandes divergências em áreas como reformas em pensões, impostos, leis trabalhistas, salários do setor público e investimento.   Continuação...

 
Primeiro-ministro da Grécia, Alexis Tsipras, deixa a sede da Comissão Europeia, após reunião em Bruxelas, na Bélgica, nesta quarta-feira. 24/06/2015 REUTERS/Yves Herman