Tsipras convoca Gabinete conforme prazo se aproxima

sexta-feira, 26 de junho de 2015 17:08 BRT
 

Por Renee Maltezou e Jan Strupczewski

BRUXELAS/ATENAS (Reuters) - O primeiro-ministro da Grécia, Alexis Tsipras, convocou uma reunião de Gabinete urgente nesta sexta-feira após os parceiros da zona do euro advertirem Atenas que o país tinha até o fim de semana para aceitar uma proposta de recursos em troca de reformas ou caminhar para o calote.

Apesar da retórica nervosa e acusações de "chantagem", as negociações continuaram em Bruxelas para encontrar um compromisso de última hora para manter a Grécia na zona do euro e evitar descarrilamento político, caos econômico e ruptura do mercado financeiro.

O ministro das Finanças da Grécia, Yanis Varoufakis, expressou frustração com a postura adotada pelos credores, os quais ele acusou de endurecerem suas demandas a cada vez que a Grécia fazia uma concessão, mas disse que as diferenças ainda poderiam ser reduzidas.

Ele disse que não havia base para o aumento da especulação em Atenas de que Tsipras poderia antecipar as eleições se um acordo não for fechado.

"Não há motivo para um referendo ou eleições, ou um fracasso nas negociações. O senso comum demanda um acordo", disse ele à Antenna TV, da Grécia.

A zona do euro ofereceu liberar bilhões em ajuda se a Grécia aceitasse e implementasse reformas de previdenciárias e tributárias que são um fantasma para o governo esquerdista, eleito em janeiro sob a promessa de acabar com a austeridade.

Se a Grécia não fechar um acordo no final de semana para liberar os recursos, o país dará o calote ao Fundo Monetário Internacional (FMI) na terça-feira, possivelmente desencadeando uma corrida aos bancos, controles de capital e levantando dúvidas sobre seu futuro na zona do euro.

Os credores definiram os termos em documento que foi enviado à Grécia na quinta-feira. Ele diz que a Grécia pode ter 15,5 bilhões de euros em financiamento da UE e do FMI em quatro parcelas para sustentar o país até o fim de novembro, incluindo 1,8 bilhão de euros até terça-feira assim que o Parlamento de Atenas aprovar o plano.

O total é um pouco mais do que a Grécia precisa para o serviço de suas dívidas durante os próximos seis meses, mas não contém dinheiro novo.

Os ministros de Finanças do Eurogrupo vão se reunir às 9h (horário de Brasília) no sábado e a Grécia será questionada se aceita a oferta revisada da Comissão Europeia, do Banco Central Europeu (BCE) e do FMI, disse uma autoridade da zona do euro.