Japão planeja elevar salário mínimo em pacote de estímulos para reanimar economia

segunda-feira, 23 de novembro de 2015 09:39 BRST
 

Por Takashi Umekawa e Stanley White

TÓQUIO (Reuters) - O governo japonês planeja elevar o salário mínimo e adotar outras medidas para revitalizar a economia, mas o esboço dos planos visto pela Reuters nesta segunda-feira não parece avançar nas reformas que, segundo analistas, são necessárias para acabar com décadas de estagnação.

O governo do primeiro-ministro do Japão, Shinzo Abe, também vai oferecer apoio financeiro para pessoas vivendo de suas pensões para impulsionar os gastos do consumidor, como mostrou uma cópia da proposta vista pela Reuters.

Citando fontes anônimas, o jornal Nikkei disse nesta segunda-feira que o governo está planejando elevar o salário mínimo em 3 por cento. Mas o esboço não forneceu nenhum detalhe e analistas dizem que o governo vai precisar fazer mais para fomentar o crescimento durável.

Elevar os salários é uma tarefa urgente para as autoridades já que o país está empenhado em incentivar os gastos do consumidor, algo visto como crucial para impulsionar a demanda doméstica e tirar a economia de 15 anos de deflação.

Entretanto, alguns economistas continuaram céticos com os planos já que eles não fazem o suficiente para lidar com o rígido mercado de trabalho e a baixa produtividade do trabalhador.

"Isso soa como estímulos de curto prazo, mas o Japão precisa de reformas estruturais mais do que medidas de estímulos", disse o economista de Japão do Capital Economics Marcel Thieliant.

"Nós talvez consigamos uma arrancada de crescimento nos próximos um ou dois anos, mas isso não vai levar a um crescimento mais forte no longo prazo."