Governo eleva para 10,6% taxa de retorno de concessões ferroviárias

segunda-feira, 23 de novembro de 2015 15:40 BRST
 

SÃO PAULO (Reuters) - O Ministério da Fazenda informou nesta segunda-feira que decidiu elevar a taxa interna de retorno (TIR) de referência para os investidores interessados nos próximos leilões de concessões de ferrovias do país, de 8,5 por cento para 10,6 por cento.

A "atualização tem objetivo de tornar os ativos ferroviários no Brasil competitivos com relação a alternativas semelhantes de investimento", afirmou o ministério em comunicado à imprensa.

As concessões de ferrovias estão situadas em importantes áreas agrícolas brasileiras, o que poderá elevar a competitividade do agronegócio e de outros produtos do país no futuro.

A medida ocorre depois de o governo federal já ter elevado a taxa de retorno das novas concessões de aeroportos, portos e rodovias, em julho, também em esforço para tornar o programa de concessões mais atraente ao investidor.

A Fazenda apontou que o valor de referência não equivale à taxa efetiva de retorno dos próximos leilões, que depende de características de cada concessão.

Os próximos trechos ferroviários a serem concedidos na segunda etapa do Programa de Investimentos em Logística (PIL) envolvem Ferrovia Norte-Sul entre Açailândia (MA)/Barcarena (PA) e Palmas (TO)/Anápolis(GO), com investimento estimado de 7,8 bilhões de reais; trechos da mesma via entre Anápolis(GO)/Estrela D´Oeste (SP) e Estrela D´Oeste (SP)/Três Lagoas (MS), com investimento de 4,9 bilhões de reais; e trecho da ferrovia Lucas do Rio Verde (MT)/Miritituba (PA), com investimento de 9,9 bilhões de reais.

Procurado, o Ministério dos Transportes não soube estimar quando os leilões vão ocorrer ou estimativa de arrecadação, mas afirmou que os estudos sobre as concessões "estão prontos".

(Por Priscila Jordão, com reportagem adicional de Marcela Ayres, em Brasília)