Leilão de hidrelétricas obtém R$17 bi, com domínio de chinesa; valor entra em 2016

quarta-feira, 25 de novembro de 2015 18:10 BRST
 

Por Luciano Costa

SÃO PAULO (Reuters) - O leilão de hidrelétricas existentes promovido pelo governo federal nesta quarta-feira superou expectativas e vendeu todos os ativos oferecidos, o que representa uma arrecadação de 17 bilhões de reais em bônus de outorga por usinas que somam 6 mil megawatts em potência.

O ministro de Minas e Energia, Eduardo Braga, afirmou que os recursos só deverão entrar no caixa da União em 2016, conforme havia sido adiantado pelo relator da peça orçamentária do próximo ano, senador Acir Gurgacz (PDT-RO), na terça-feira.

Mais cedo nesta quarta, o diretor da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) José Jurhosa disse que o pagamento da maior parte da outorga (11 bilhões de reais) estava previsto para 30 de dezembro.

Braga, no entanto, disse que é preciso "realismo em relação aos prazos" e atribuiu a previsão de entrada dos recursos em 2016 aos sucessivos adiamentos do certame.

Apesar do "sucesso" em termos arrecadatórios, o leilão resultará em poucos benefícios para as tarifas dos consumidores, uma vez que a grande maioria dos ativos foi arrematada com pouco ou nenhum deságio na receita estabelecida.

As propostas oferecidas pelas empresas representam redução de apenas 0,3 por cento no valor médio da energia a ser vendida pelas usinas, que será de 124,88 reais por megawatt-hora, contra um máximo de 125,24 reais por megawatt-hora.

VITORIOSAS   Continuação...

 
Linhas de transmissão de energia próximas a represa Billings, em Diadema. 11/02/2015. REUTERS/Paulo Whitaker.