Com menor pressão no atacado, IGP-M desacelera alta a 1,52% em novembro

sexta-feira, 27 de novembro de 2015 08:36 BRST
 

SÃO PAULO (Reuters) - A pressão dos preços no atacado diminuiu em novembro e o Índice Geral de Preços-Mercado (IGP-M) desacelerou a alta a 1,52 por cento, após avanço de 1,89 por cento em outubro, mesmo com preços no varejo ainda mais altos.

O resultado ficou praticamente em linha com a expectativa em pesquisa da Reuters junto a economistas, de alta de 1,50 por cento, na mediana das projeções. BRIGP=ECI

A Fundação Getúlio Vargas (FGV) informou nesta sexta-feira que o Índice de Preços ao Produtor Amplo (IPA), que mede a variação dos preços no atacado e responde por 60 por cento do índice geral, subiu 1,93 por cento em novembro, sobre 2,63 por cento no mês anterior.

A alta dos preços dos produtos agropecuários diminuiu para 2,60 por cento em novembro contra 3,83 por cento, enquanto o avanço dos produtos industriais desacelerou a 1,68 por cento, sobre 2,16 por cento em outubro.

Por outro lado, o Índice de Preços ao Consumidor (IPC), que tem peso de 30 por cento no índice geral, acelerou a alta a 0,90 por cento, após 0,64 por cento em outubro.

O grupo Alimentação foi o que mais pressionou com alta de 1,37 por cento em novembro, contra 0,45 por cento em outubro. Somente os preços do item hortaliças e legumes avançou 11,42 por cento, após queda de 10,71 por cento.

O Índice Nacional de Custo da Construção (INCC), por sua vez, avançou 0,40 por cento neste mês, contra alta de 0,27 por cento em outubro.

O IGP-M é utilizado como referência para a correção de valores de contratos, como os de energia elétrica e aluguel de imóveis.

(Por Camila Moreira)