BTG deve vender fatia na Rede D'Or a fundo GIC por quase R$2,5 bi, diz fonte

domingo, 29 de novembro de 2015 19:14 BRST
 

Por Guillermo Parra-Bernal e Tatiana Bautzer

SÃO PAULO (Reuters) - O grupo BTG Pactual concordou em vender sua participação de 12 por cento na Rede D'Or São Luiz, a maior de hospitais do Brasil, por quase 2,5 bilhões de reais, para um de seus sócios no negócio, o fundo soberano de Cingapura GIC, disse uma fonte com conhecimento direto do assunto.

O anúncio pode ocorrer na segunda-feira, disse a fonte, que preferiu ficar no anonimato. O GIC já tem 16 por cento na rede de hospitais.

A negociação ocorre com o banco lidando com as consequências da prisão do seu presidente, André Esteves, na última semana.

Os executivos do banco com sede em São Paulo vinham negociando a fatia na Rede D'Or desde agosto, embora a prisão de Esteves tenha "acelerado as negociações", disseram mais cedo outras duas fontes, que pediram anonimato porque o processo continua privado.

O GIC já havia pago 3,3 bilhões de reais pelos 16 por cento da Rede D'Or, em maio.

O BTG Pactual não se pronunciou, assim como representantes do Carlyle Group LP, outro sócio na rede de hospitais.

A bilionária família Moll, também sócia na Rede D'Or, não pôde ser contatada imediatamente.

Um acordo poderia ajudar a BTG Pactual a repor parte do dinheiro que deixou a instituição desde a detenção Esteves na quarta-feira.

Esteves foi preso no dia 25 de novembro por suspeita de que teria agido para obstruir uma investigação sobre possíveis subornos apurados pela operação Lava Jato, que investiga o maior esquema de corrupção do país.