Dólar sobe 1,5% e encosta em R$3,90 por turbulências políticas

segunda-feira, 30 de novembro de 2015 09:40 BRST
 

SÃO PAULO (Reuters) - O dólar avançava 1,5 por cento e era negociado perto de 3,90 reais no início dos negócios desta segunda-feira, pressionado pelo quadro de intensas turbulências políticas no Brasil em um dia que deve ser marcado por volatilidade em função da briga pela formação da Ptax de novembro.

Às 9:20, o dólar avançava 1,51 por cento, a 3,8811 reais na venda, após subir mais de 2 por cento e atingir 3,9141 reais na máxima da sessão. Na semana passada, a moeda norte-americana marcou o maior avanço semanal desde o início de setembro.

Entre os focos de pressão sobre o câmbio, operadores citavam a manutenção da prisão do ex-presidente do BTG Pactual, André Esteves, pelo Supremo Tribunal Federal (STF), a votação da nova meta de primário no Congresso, marcada para terça-feira, e novas denúncias contra o presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), com potencial para alimentar ainda mais os atritos entre o Legislativo e o Executivo.

O Banco Central fará nesta tarde leilão de venda de até 2,75 bilhões de dólares com compromisso de recompra com fim de rolar as linhas que vencem em dezembro. Além disso, também dará início, na terça-feira, à rolagem dos swaps cambiais que vencem em janeiro, sinalizando que deve repor integralmente os contratos equivalentes a venda futura de dólares.

(Por Bruno Federowski)

 
Notas de real e de dólar vistas em São Paulo.  22/09/2015    REUTERS/Paulo Whitaker