Bovespa recua 1,6% por deterioração política e encerra mês no vermelho

segunda-feira, 30 de novembro de 2015 18:30 BRST
 

Por Paula Arend Laier

SÃO PAULO (Reuters) - A Bovespa fechou com o seu principal índice em queda nesta segunda-feira, anulando os ganhos de novembro, em meio a persistentes incertezas políticas e preocupações com o quadro fiscal no Brasil e um viés negativo em mercados emergentes.

O Ibovespa caiu 1,64 por cento, a 45.120 pontos.

O giro financeiro totalizou 11,8 bilhões de reais. No exterior, o índice MSCI para mercados emergentes caía 1,38 por cento, endossando o movimento no pregão paulista.

No mês, o Ibovespa acumulou queda de 1,63 por cento, refletindo o aumento das preocupações políticas e fiscais, após os novos desdobramentos da operação Lava Jato, que resultaram na prisão do agora ex-líder do governo no Senado Delcídio do Amaral (PT-MS) e do banqueiro André Esteves, do BTG Pactual, na semana passada.

Conforme destacou a equipe da Guide Investimentos, os eventos trazem consequências imprevisíveis, com eventuais delações premiadas, adicionando incertezas. Até o dia 24, véspera das prisões, o Ibovespa acumulava alta de mais de 5 por cento no mês.

Em nota a clientes pela manhã, o Credit Suisse destacou que, além dos potenciais desdobramentos na esfera política, dezembro começa com o governo federal correndo contra o tempo para aprovar a revisão da meta fiscal de 2015.

E isso ocorre, conforme notou a equipe do Credit Suisse, na esteira do aumento da expectativa de uma revisão do rating do país pela Standard & Poor's, que visita o Brasil nos próximos dias.

O último pregão do mês ainda sofreu com o efeito do rebalanceamento do índice global MSCI e suas subdivisões, válido a partir do fechamento, com a saída de seis papéis do MSCI Brasil Index. (bit.ly/1kRXgTK)   Continuação...