Mercado de trabalho nos EUA mostra sinais de pressões salariais mais amplas, mostra Livro Bege do Fed

quarta-feira, 2 de dezembro de 2015 17:19 BRST
 

WASHINGTON (Reuters) - O mercado de trabalho se fortaleceu modestamente nas últimas semanas, com alguma pressão para cima sobre os salários, conforme empregadores enfrentaram crescentes dificuldades para contratar funcionários em todos os níveis de qualificação, mostrou nesta quarta-feira o relatório Livro Bege do Federal Reserve, banco central norte-americano.

A atividade econômica dos EUA continuou a expandir em ritmo modesto na maioria das regiões entre o início de outubro e meados de novembro, segundo informações sobre a atividade empresarial coletadas com contatos em todo o país.

A maioria dos distritos informou que as pressões salariais aumentaram apenas no caso de ocupações qualificadas e para aquelas com escassez de trabalhadores, mas alguns relataram pressões mais amplas. As pressões salariais como um todo foram "estáveis a crescentes, de maneira geral", informou o Fed.

Por exemplo, o Fed de Cleveland relatou que as pressões salariais foram "disseminadas" e Atlanta afirmou que houve sinais de pressões crescentes para aumentar os salários iniciais, mesmo no caso da mão de obra pouco qualificada.

Atlanta, assim como os distritos de Minneapolis, Kansas City e San Francisco, relataram dificuldades para encontrar funcionários para posição de menor qualificação e júnior.

É amplamente esperado que autoridades do Fed elevem os juros pela primeira vez em quase uma década em sua próxima reunião, em 15 e 16 de dezembro, mas o banco central continua avaliando os dados e tendências cuidadosamente considerando a natureza heterogênea da recuperação dos EUA.

(Reportagem de Lindsay Dunsmuir)