BRF vê alta de US$600 mi em faturamento de 2016 após aquisições

quarta-feira, 2 de dezembro de 2015 17:58 BRST
 

SÃO PAULO (Reuters) - A BRF espera um crescimento de 600 milhões de dólares no faturamento de 2016 após aquisições anunciadas na terça-feira na Argentina, Reino Unido e Tailândia, afirmou o presidente-executivo da companhia de alimentos, Pedro Faria, nesta quarta-feira.

O executivo não deu detalhes sobre expectativas de sinergias ou lucro operacional por conta das aquisições recentes, mas afirmou que a BRF continua alavancagem baixa e atenta a novas oportunidades de compra de ativos no mundo.

As ações da empresa encerraram o dia em queda de 0,14 por cento, a 56,22 reais, enquanto o Ibovespa recuou 0,29 por cento.

A BRF encerrou o terceiro trimestre com receita líquida de 8,3 bilhões de reais, acumulando de janeiro a setembro 23,2 bilhões de reais, um crescimento de 10,9 por cento sobre os nove primeiros meses do ano passado.

Na noite da terça-feira, a maior exportadora de carne de frango do mundo anunciou a compra da tailandesa Golden Foods Siam por 360 milhões de dólares, incluindo os ativos da companhia na Tailândia e na Europa. A empresa também comprou na Argentina, por 85 milhões de dólares, a controladora da Campo Austral, que tem operações integradas de porcos, e acertou acordo para compra da Universal Meals, no Reino Unido, por 34 milhões de libras esterlinas (51,2 milhões de dólares).

Segundo Faria, a compra na Argentina tornou a BRF a segunda maior empresa de suínos do país.

Com a Golden Foods Siam, a BRF reforça presença na Ásia com produção de cortes de frango de alto valor agregado e que é complementar aos produtos do grupo brasileiro.

Já na Inglaterra, a aquisição da Universal Meals amplia a presença da empresa no segmento de serviços de alimentação, que tem entre clientes restaurantes independentes, além de ser grande destino das exportações da Golden Foods, disse o executivo.

Faria afirmou ainda que as aquisições permitirão à BRF dobrar o percentual de sua produção fora do Brasil de 4 para 8 por cento, em linha com o objetivo do grupo de aumentar essa fatia para 20 por cento nos próximos três anos.   Continuação...