Déficit global de café deve continuar por desaceleração de exportações do Brasil

quarta-feira, 2 de dezembro de 2015 21:20 BRST
 

LONDRES (Reuters) - O déficit no mercado global de café deve continuar pelo segundo ano consecutivo em 2015/16 por causa de uma desaceleração esperada nas exportações do Brasil, o maior produtor, reduzindo a oferta no mercado global, disseram analistas.

As exportações brasileiras excederam as expectativas nos últimos meses encorajadas pelo real fraco e por uma forte demanda das torrefadoras.

Mas os embarques podem desacelerar no início de 2016, disse o Rabobank em seu último relatório de perspectivas para os mercados de commodities agrícolas em 2016.

"Nós ainda acreditamos que os fundamentos altistas ressurgirão uma vez que as exportações brasileiras percam fôlego", disse o Rabobank.

O Rabobank estima um déficit global de café em 2,7 milhões de sacas de 60kg em 2015/16, após um déficit de 6,1 milhões de sacas em 2014/15.

A Volcafe, divisão suíça da trading de commodities ED&F Man, cortou sua estimativa global de déficit em quase um terço após os estoques do Brasil caírem e os dos países consumidores não, mostrou um relatório de novembro visto pela Reuters.

A Volcafe estimou o déficit de arábica do Brasil em 5 milhões de sacas em 2015/16, comparado com a estimativa de agosto de 2,8 milhões de sacas, após um déficit estimado de 7 milhões de sacas em 2014/15, uma alta ante uma estimativa anterior de déficit de 5,6 milhões de sacas.

Dados da Secretaria de Comércio Exterior do Brasil mostraram na terça-feira exportações de café em desaceleração, mas ainda fortes, em novembro, a 3,1 milhões de sacas de 60 kg, uma queda ante 3,3 milhões de sacas em outubro.

As exportações globais de café arábica em outubro subiram 1,9 por cento em comparação anual, para 5,55 milhões de sacas, enquanto as exportações de café robusta caíram 11,7 por cento ante o ano anterior para 3,2 milhões de sacas.   Continuação...