Bovespa sobe mais de 3% impulsionada por bancos e Petrobras após decisão sobre impeachment

quinta-feira, 3 de dezembro de 2015 18:18 BRST
 

Por Paula Arend Laier

SÃO PAULO(Reuters) - O principal índice da Bovespa fechou em alta de mais de 3 por cento nesta quinta-feira, maior ganho diário em um mês, guiado pela disparada de ações de bancos e da Petrobras, após o presidente da Câmara dos Deputados acolher pedido de abertura de processo de impeachment contra a presidente Dilma Rousseff.

O Ibovespa subiu 3,29 por cento, a 46.393 pontos. Na máxima, avançou quase 5 por cento, superando 47 mil pontos. O volume financeiro totalizou 7,8 bilhões de reais.

O deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ) aceitou na quarta-feira pedido de abertura de processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff, por suposto desrespeito à Lei Orçamentária deste ano.

Profissionais do mercado avaliaram que a reação positiva nos negócios refletiu alguma "euforia" diante da perspectiva de mudanças, de potencial melhora de governabilidade no caso de um eventual desfecho desfavorável para a presidente Dilma no processo de impeachment.

"Não é algo trivial... O processo em si é bastante incerto, e deve adicionar ainda mais volatilidade neste momento", disse o gestor Eduardo Roche, da Canepa Asset Management.

Segundo o chefe da área de renda variável da corretora de um banco em São Paulo, o movimento foi amplificado pela cobertura de posições vendidas.

O mercado vinha pressionado pela perspectiva de que fundos da BTG Pactual Asset estariam fechando posições, em meio a fortes saques após a prisão do banqueiro do André Esteves. Esses temores seguem, mas ficaram em segundo plano nesta sessão diante da chance de mudança de governo.

O pano de fundo da sessão desta quinta-feira ainda incluiu a aprovação pelo Congresso Nacional de alteração da meta fiscal em 2015 e a afirmação do Banco Central na última ata do Copom de que tomará as "medidas necessárias" para controlar a escalada de preços independentemente das demais políticas.   Continuação...