Opep mantém política de produção de petróleo

sexta-feira, 4 de dezembro de 2015 12:59 BRST
 

VIENA (Reuters) - A Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) decidiu manter suas políticas de produção em uma reunião nesta sexta-feira, segundo fontes do grupo, abstendo-se de tomar medidas para limitar a oferta e potencialmente agravando um dos piores excedentes de oferta da commodity na história.

O grupo, que produz um terço do petróleo no mundo, decidiu aumentar o limite coletivo de produção para 31,5 milhões de barris por dia (bpd), ante 30 milhões de bpd anteriormente, disseram duas fontes da Opep.

A decisão reconheceu que os membros da Opep já estavam produzindo acima da meta antiga.

A cotação do petróleo Brent, referência global, perdeu 2 dólares por barril após a notícia.

O petróleo Brent recuava 0,83 dólar, ou 1,89 por cento, a 43,01 dólares por barril, às 12:58 (horário de Brasília). O petróleo dos Estados Unidos caía 1,06 dólar, ou 2,58 por cento, a 40,02 dólares por barril.

Não ficou imediatamente claro se a Indonésia, que está retornando ao grupo e tem produção de 0,9 milhão de bpd, foi incluída no novo teto. De qualquer maneira, a decisão passou longe de resolver a questão do crescente excesso de oferta global.

Integrantes mais pobres da Opep foram aumentando a pressão sobre os membros mais ricos do grupo liderado pela Arábia Saudita para conter a oferta.

Mas Riad e seus aliados decidiram nesta sexta-feira manter a sua estratégia de defesa de participação de mercado, na esperança de que os preços mais baixos acabem levando produtores de custo mais elevado para fora do mercado.

Os sauditas chegaram a dizer que estariam dispostos a considerar um corte na produção, mas apenas se os membros da Opep, como Irã e Iraque, concordassem em cooperar, o que não é o caso.   Continuação...