ANÁLISE-Crise pode forçar Abengoa a vender ativos no Brasil mesmo com mercado ruim

segunda-feira, 7 de dezembro de 2015 19:48 BRST
 

Por Luciano Costa e Marcelo Teixeira

SÃO PAULO (Reuters) - A crise do grupo de engenharia Abengoa, cuja matriz entrou com pedido preliminar de recuperação judicial na Espanha, pode forçar a empresa a vender ativos no Brasil, apesar de um momento ruim do país, particularmente do mercado de transmissão de energia elétrica.

O governo federal tem lutado sem muito sucesso para atrair mais investidores nos leilões de empreendimentos de transmissão, um setor no qual a Abengoa possui cerca de 6 mil quilômetros de linhas em construção.

A carteira de projetos da espanhola inclui linhas importantes para viabilizar a conexão de usinas eólicas e da hidrelétrica de Belo Monte, que será a terceira maior do mundo.

Especialistas ouvidos pela Reuters estimam que a Abengoa deve tentar vender seus ativos para fazer caixa, devido à dificuldade para captar novos recursos e continuar os projetos em meio à sua crise.

"É um caminho, até para abastecer de recursos líquidos as operações no exterior... é um caminho bem possível", afirmou o advogado Robertson Emerenciano, sócio do escritório Emerenciano, Baggio e Associados.

Ele acredita que a alternativa deverá até mesmo ser incentivada pelo governo brasileiro e pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel).

"Para o governo, é mais importante manter os investimentos... é possível fazer uma negociação para transferir os ativos", disse.

Fontes com conhecimento da reestruturação da Abengoa na Espanha disseram que a empresa vai parar todos projetos não operacionais e que demandam novos investimentos.   Continuação...