IGP-DI desalacera alta para 1,19% em novembro, por alívio em atacado

terça-feira, 8 de dezembro de 2015 08:24 BRST
 

SÃO PAULO (Reuters) - O Índice Geral de Preços-Disponibilidade Interna (IGP-DI) desacelerou a alta a 1,19 por cento em novembro, após subir 1,76 por cento em outubro, devido ao ritmo menor de alta dos preços no atacado, informou a Fundação Getulio Vargas (FGV) nesta terça-feira.

O resultado ficou abaixo da expectativa em pesquisa da Reuters de avanço de 1,37 por cento em novembro.

O Índice de Preços ao Produtor Amplo (IPA-DI) subiu 1,41 por cento no mês passado, desacelerando ante a alta de 2,38 por cento em outubro. O índice responde por 60 por cento do IGP-DI.

O resultado do IPA foi influenciado pela desaceleração dos grupos Bens Intermediários e Matérias-Primas Brutas, que apresentaram avanço de 0,87 por cento e 0,21 por cento, contra 2,20 por cento e 2,99 por cento, respectivamente.

A FGV informou também que o Índice de Preços ao Consumidor (IPC-DI) registrou alta de 1,00 por cento, contra avanço de 0,76 por cento no mês anterior. O índice mede a evolução dos preços às famílias com renda entre um e 33 salários mínimos mensais e corresponde a 30 por cento do IGP-DI.

Para esse resultado, a maior contribuição, segundo a FGV, veio do grupo Alimentação, que acelerou o avanço para 1,85 por cento, ante 0,47 por cento previamente. A FGV destacou o comportamento do item hortaliças e legumes, que reverteu uma queda de 10,13 por cento e apresentou alta de 21,61 por cento.

Por sua vez, o Índice Nacional de Custo da Construção (INCC-DI) subiu 0,34 por cento em novembro, ante alta de 0,36 por cento em outubro. O índice representa 10 por cento do IGP-DI.

O IGP-DI é usado como referência para correções de preços e valores contratuais. Também é diretamente empregado no cálculo do Produto Interno Bruto (PIB) e das contas nacionais em geral.

(Por Bruno Federowski)