Famílias e estoques impulsionam PIB da zona do euro, apesar de comércio

terça-feira, 8 de dezembro de 2015 08:30 BRST
 

BRUXELAS (Reuters) - A alta dos estoques e os maiores gastos das famílias foram as principais forças motrizes por trás do crescimento econômico da zona do euro no terceiro trimestre, compensando o impacto negativo do comércio, mostraram os dados finais da agência de estatística da União Europeia (Eurostat).

A Eurostat confirmou nesta terça-feira que o crescimento econômico nos 19 países que compartilham o euro foi de 0,3 por cento na comparação trimestral entre julho e setembro e de 1,6 por cento na comparação anual, como anteriormente estimado e esperado pelos mercados.

Nos três meses anteriores, a economia havia crescido 0,4 por cento na base trimestral e 1,6 por cento em termos anuais.

O consumo das famílias acrescentou 0,2 ponto percentual ao resultado final do terceiro trimestre e os estoques, outro 0,2 ponto percentual. Os gastos do governo também ajudaram com 0,1 ponto percentual, mas o comércio internacional subtraiu 0,3 ponto percentual, com as importações crescendo muito mais do que a das exportações.

(Reportagem por Jan Strupczewski)