Exportações da China caem mais do que o esperado em novembro

terça-feira, 8 de dezembro de 2015 11:52 BRST
 

Por Sue-Lin Wong

PEQUIM (Reuters) - O desempenho comercial da China continuou fraco em novembro, lançando dúvidas sobre as esperanças de que a segunda maior economia do mundo iria se estabilizar no quarto trimestre, e levando mais dificuldades a seus principais parceiros comerciais.

As leituras fracas vão reforçar as expectativas dos economistas e investidores de que o governo vai ter que fazer mais para estimular o consumo doméstico nos próximos meses, dada a persistente fraqueza da demanda global.

As exportações caíram 6,8 por cento, mais do que o esperado, em comparação ao mesmo período do ano anterior, o quinto mês seguido de queda, enquanto as importações diminuíram 8,7 por cento, o 13º declínio mensal consecutivo.

As importações não caíram tanto quanto alguns economistas temiam, mas os analistas estavam inseguros se isso sinalizava possível melhora na fraca demanda doméstica chinesa, um dos principais fatores que tem levado os preços mundiais das commodities às mínimas em anos.

Analistas consultados pela Reuters esperavam que as exportações recuassem 5,0 por cento, moderando a queda de 6,9 por cento de outubro, enquanto as importações tinham previsão de cair 12,6 por cento após a queda alarmante de 18,8 por cento em outubro.

Mas alguns analistas ficaram reconfortados com o fato de o país ainda ter superávit comercial, que ficou em 54,1 bilhões de dólares em novembro, embora abaixo do superávit recorde de 61,64 bilhões de dólares em outubro.

 
Contêineres vistos no porto de Rizhao, na China.   06/12/2015    REUTERS/Stringer