Fraqueza das economias emergentes afeta exportações da Alemanha em outubro

quarta-feira, 9 de dezembro de 2015 10:11 BRST
 

Por Caroline Copley

BERLIM (Reuters) - As exportações e importações da Alemanha caíram mais do que o esperado em outubro, sugerindo que a maior economia europeia ainda está lutando para afastar o impacto da desaceleração da China e de outros mercados emergentes.

Os dados vão contra outros indicadores que pintaram um cenário melhor para a indústria, e economistas ficaram divididos sobre se o recuo é parte de uma tendência de queda ou se o número de outubro ficou distorcido devido aos fortes dados de setembro.

As exportações sazonalmente ajustadas caíram 1,2 por cento, disse a Agência Federal de Estatísticas nesta quarta-feira, mais do que o dobro da previsão de queda de 0,5 por cento de economistas em pesquisa da Reuters.

O economista do ING Carsten Brzeski alertou contra tirar muitas conclusões sobre a queda mensal nas exportações, dizendo que ela foi mais resultado de uma correção técnica após os fortes dados de setembro do que de uma mudança estrutural.

O comércio internacional foi um peso para o crescimento alemão no terceiro trimestre, e os dados da produção industrial mais baixos do que o esperado na segunda-feira sugerem que a indústria ainda está sentindo os efeitos da desaceleração na China e em outras economias emergentes.

As importações caíram 3,4 por cento, a maior queda mensal desde abril de 2012.

O economista do Bremer Landesbank Folker Hellmeyer disse que o recuo nas importações não é uma grande preocupação e reflete preços menores já que a Alemanha importa muita energia.

O superávit comercial aumentou para 20,8 bilhões de euros, de 19,2 bilhões no mês anterior.

(Reportagem adicional por Rene Wagner e Michelle Martin)