Nova aquisição na indústria de café deixa operadores nervosos sobre pagamentos

quarta-feira, 9 de dezembro de 2015 16:10 BRST
 

(Reuters) - O constante crescimento do império de café da JAB Holding Co está ameaçando deixar um gosto amargo para operadores que alimentam sua crescente rede de torrefadoras com grãos, que dizem que agora têm pouca escolha a não ser aguardar por um tempo anormalmente longo para serem pagos.

Após serem compradas pela JAB --o veículo de investimentos da bilionária família Reimann-- torrefadoras desde a cadeia de especialidades norte-americana Peet's Coffee & Tea até o conglomerado europeu Jacobs Douwe Egberts (JDE) aumentaram seus prazos financeiros líquidos para 120 dias ou mais, um alta ante o padrão da indústria de 30 dias ou menos, disseram mais de uma dúzia de fontes da indústria à Reuters.

Isso significa que os intermediários que compram grãos de países como Brasil e Colômbia e os vendem para Peet's, JDE e outras torrefadoras da JAB devem aguardar quatro meses ou mais após a entrega para serem pagos. Outras torrefadoras que foram compradas por grandes fundos de investimento, como Tim Hortons, fizeram movimentos similares.

Na segunda-feira, o JAB, com sede em Luxemburgo, anunciou que liderará a aquisição da Keurig Green Mountain, por 13,9 bilhões de dólares, o maior acordo do segmento de café na história. Os operadores de café estão se perguntando se a empresa de Waterbury, Vermont, será a próxima torrefadora a estender os termos de pagamento.

Tal movimento representaria problemas para as casas de negociação que operam nos bastidores para mover os grãos de café pelo mundo. Isso aumentaria seus riscos de não serem pagos e comprometeria capital que usariam para comprar café para outras torrefadoras clientes.

"Importadoras não foram feitas para serem bancos", disse uma fonte que esteve envolvida com uma extensão de termos de crédito para uma torrefadora da JAB. "A importadora precisa aumentar sua linha de crédito para continuar a comprar mais café para outros clientes."

(Por Luc Cohen)