Moody's coloca rating "Baa3" do Brasil em revisão para rebaixamento

quarta-feira, 9 de dezembro de 2015 20:23 BRST
 

Por Flavia Bohone

SÃO PAULO (Reuters) - A Moody's colocou nesta quarta-feira o rating do Brasil, atualmente em "Baa3", em revisão para rebaixamento, deixando o país mais perto de perder o selo de bom pagador pela segunda grande agência de classificação de riscos.

Uma revisão significa normalmente que uma ação sobre a nota pode acontecer em um período de 90 dias, segundo informações no site da Moody's.

Segundo a agência de risco, a revisão da nota brasileira de crédito é consequência da acelerada deterioração das condições macroeconômicas e das tendências fiscais do país. Em comunicado, a agência citou ainda o risco de paralisia política.

"A probabilidade de uma virada no desempenho econômico e fiscal do Brasil parece agora improvável em 2016", disse a Moody's.

No comunicado, a agência destacou ainda que as principais bases para o rating "Baa3" do país --expansão do Produto Interno Bruto (PIB) de 2 por cento e superávit primário da mesma magnitude depois de 2016-- parecem estar em risco. A nota "Baa3" é a última dentro do grau de investimento.

"Tivemos muitas surpresas negativas com relação ao crescimento (da economia)... Sem crescimento é difícil colocar a situação fiscal em um caminho saudável", disse à Reuters a analista sênior de rating soberano da Moody's, Samar Maziad.

Caso a Moody's corte o rating do Brasil, será a segunda entre as três grandes agências de classificação de riscos a retirar do país o selo de bom pagador, o que pode influenciar o fluxo de dólares no Brasil. Muitos investidores são impedidos de comprar títulos de emissores que não tenham o selo de bom pagador por duas das três principais agências.

"A falta de perspectiva clara em relação ao médio e longo prazo acabou deixando muitos investidores fora do jogo há algum tempo. O volume de dólares que poderia sair em função de um rebaixamento já não é mais tão expressivo quanto seria no passado", disse o estrategista da corretora Icap Juliano Ferreira.   Continuação...