BC da Inglaterra destaca petróleo e salários e mantém política monetária

quinta-feira, 10 de dezembro de 2015 10:36 BRST
 

LONDRES (Reuters) - As autoridades do banco central britânico se focaram em uma renovada queda nos preços globais do petróleo e no crescimento mais lento dos salários no país ao votarem por 8 a 1 pela manutenção da taxa de juros na mínima recorde de 0,5 por cento.

A ata da reunião de definição de política monetária mostrou que Banco da Inglaterra não tem pressa para igualar a esperada elevação da taxa de juros pelo Federal Reserve, banco central dos Estados Unidos, na próxima semana, já que não há "conexão mecânica" entre o pensamento do banco central britânico e o de outros.

O banco central disse que espera que os cortes de gastos menores anunciados no mês passado pelo ministro das Finanças, George Osborne, deem um impulso ao crescimento do próximo ano.

A economia britânica cresceu fortemente por mais de dois anos, mas a inflação continua abaixo de zero e o Banco da Inglaterra manteve sua taxa de juros no nível ao qual foi cortada durante o pior da crise financeira, há quase sete anos.

O presidente do Banco da Inglaterra, Mark Carney, e outros membros do Comitê de Política Monetária disseram que as "notícias materiais" no mês desde a reunião anterior foram de que os preços do petróleo "caíram marcadamente de novo", o que levanta a chance de a inflação continuar fraca.

Eles também destacaram uma estabilização no crescimento dos salários na Grã-Bretanha, o que é importante para as deliberações do banco central sobre quando deve elevar os juros.

(Reportagem por William Schomberg e David Milliken)