ANP negocia 90% de áreas marginais de petróleo ofertadas em leilão

quinta-feira, 10 de dezembro de 2015 13:42 BRST
 

RIO DE JANEIRO (Reuters) - O leilão de campos de óleo e gás inativos, com acumulações marginais, com foco em pequenas e médias empresas, negociou nove áreas entre dez ofertadas, informou a Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), que realizou o certamente nesta quinta-feira.

No total, nove empresas arremataram campos que haviam sido devolvidos pela Petrobras ao governo federal, em seis bacias sedimentares brasileiras, o que resultou em uma arrecadação de 4,25 milhões de reais em bônus de assinatura do certame, informou a agência.

As nove empresas vencedoras da licitação, que integra a segunda fase da 13ª Rodada de Licitações da ANP, foram Oeste de Canoas, Perícia, Bildung, Imetame, Engepet, Newo, Alvopetro, Vipetro e EPG Brasil.

As nove áreas arrematadas registraram um ágio médio de mais de 600 por cento.

A diretora-geral da ANP, Maga Chambriard, afirmou que não poderia se dizer surpresa com o resultado, uma vez que a agência apenas realizou o leilão após ter a manifestação de interesse de pelo menos uma empresa por área ofertada.

"O resultado do leilão mostra o apetite de uma indústria de pequenas empresas no setor de petróleo", comentou Magda, a jornalistas, após o leilão.

Questionada sobre a licitação ter tido 90 por cento das áreas arrematadas, em um momento de baixos preços do petróleo, Magda destacou que a maioria das empresas participantes apostaram no desenvolvimento desses campos.

Venceram o leilão as licitantes que ofertaram o maior valor de bônus de assinatura, diferentemente da primeira fase da 13ª Rodada, que também dependia de ofertas relacionadas ao programa exploratório mínimo e ao conteúdo local.

Juntas, as empresas deverão realizar investimentos mínimos nas áreas de 7,1 milhões de reais, em um prazo não definido, segundo Magda.   Continuação...