Usinas brasileiras reduzem dívidas com alta nos preços domésticos do açúcar

segunda-feira, 14 de dezembro de 2015 18:24 BRST
 

Por Marcelo Teixeira e David Brough

SÃO PAULO/LONDRES (Reuters) - As usinas de açúcar brasileiras, que têm enfrentado dificuldades financeiras por anos devido aos baixos preços do açúcar causados por um excesso de produção global, disseram que estão agora buscando aproveitar uma elevação dos preços domésticos para reduzir dívidas.

O mercado doméstico de açúcar está com menor oferta no Brasil após chuvas reduzirem o conteúdo de açúcar na cana, enquanto o mercado global caminha para um déficit após anos de excesso de produção, levando os preços mundiais dos contratos futuros do açúcar bruto para perto de máximas de 10 meses.

Muitas usinas no Brasil, o maior produtor e exportador de açúcar do mundo, fecharam após anos de preços baixos.

Na semana passada, a produtora brasileira de açúcar e etanol Tonon Bioenergia, que opera três usinas, entrou com pedido de recuperação judicial.

O açúcar branco de baixa qualidade, chamado açúcar cristal, foi negociado no mercado doméstico brasileiro a 80,19 reais por saca (50 kg) na sexta-feira, o maior preço desde janeiro de 2012, de acordo com um relatório de mercado divulgado pela Cepea/Esalq nesta segunda-feira.

"Não temos nenhum investimento em expansão. Todos os recursos estão sendo dirigidos para plantio, tratos e manutenção (da safra)", disse Paulo Prignolato, diretor financeiro da Biosev, segunda maior processadora de cana do mundo.

"Estamos focando na gestão da divida", disse.

A visão é semelhante na processadora Cosan.   Continuação...