Com hedges de petróleo acabando, produtores de xisto dos EUA enfrentam teste difícil

segunda-feira, 14 de dezembro de 2015 19:11 BRST
 

NOVA YORK (Reuters) - Os arruinados produtores de petróleo não convencional dos Estados Unidos estão enfrentando outra liquidação acentuada em uma queda dos preços que já dura 18 meses com proteção de hedge reduzida, arriscando um severo golpe nos lucros se os preços não se recuperarem.

Uma análise da Reuters sobre as divulgações de hedge dos 30 maiores produtores mostrou que o setor como um todo reduziu suas reservas de hedge nos três meses até setembro.

"Os produtores têm sobrevivido em 2015 se beneficiando de grandes reduções em custos de serviço enquanto tinham uma quantidade significativa da produção com hedge em preços altos", disse John Arnold, o bilionário do Texas que anteriormente estava no fundo de hedge Centaurus Advisors.

"A partir de 1º de janeiro, as receitas irão passar por um declínio acentuado para muitas empresas, coincidindo com um momento de estresse severo para planilhas de balanço em toda a indústria", disse ele à Reuters.

Quando os preços começaram a cair de cerca de 100 dólares por barril em meados de 2014, por causa do excesso de oferta global, muitos produtores norte-americanos tinham fortes reservas de hedge garantindo preços a cerca de 90 dólares por barril.

Agora, com os preços abaixo de 36 dólares e flertando com mínimas de 11 anos com renovados temores de excesso de oferta, apenas com cinco petroleiras dentre as avaliadas pela Reuters expandiram seus hedges no terceiro trimestre e oito não tinham proteção para além de 2015, deixando-os totalmente expostos a oscilações de preço. (Gráfico: reut.rs/1lUHEiO)

As divulgações de hedge servem como um indicador da atividade de exploração de petróleo no futuro e a expiração das posições aponta para um declínio no ano que vem, com os preços baixos do mercado oferecendo pouco incentivo para produtores acelerarem seus programas.

(Por Catherine Ngai)