Edinho vê PMDB fundamental para governo e diz que crescimento é mais importante que superávit

terça-feira, 15 de dezembro de 2015 18:31 BRST
 

Por Maria Pia Palermo e Brad Haynes

SÃO PAULO (Reuters) - O PMDB é fundamental para o governo da presidente Dilma Rousseff e o crescimento da economia é mais importante do que o superávit primário, disse nesta terça-feira o ministro-chefe da Secretaria de Comunicação Social da Presidência, Edinho Silva.

"Nós não podemos cair na armadilha de que o superávit fiscal é o centro das nossas ações. Até porque ele não é. A meta fiscal é importante, ela tem que ser perseguida e o governo todo tem que trabalhar para que ela ocorra. Mas o mais importante da ação do governo é retomada do crescimento", disse o ministro em entrevista a correspondentes estrangeiros em São Paulo.

Uma fonte do governo disse à Reuters mais cedo nesta terça que Dilma decidiu que a meta de superávit primário do setor público consolidado de 2016 não será de 0,7 por cento do Produto Interno Bruto (PIB), como defende o ministro da Fazenda, Joaquim Levy, e que deve ficar abaixo de 0,5 por cento.[nL1N1441ZK]

Edinho, que classificou Dilma de "desenvolvimentista", disse que a prioridade da presidente é o crescimento da economia e acrescentou que caberá a ela determinar a meta fiscal de 2016.

Ele disse também que a aceitação de um pedido de abertura de processo de impeachment contra Dilma não pode paralisar o país e que, por isso, a presidente defende celeridade na análise.

Sobre a operação da Polícia Federal nesta terça, que cumpriu mandados de busca e apreensão em residências do presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), e em locais ligados a ministros e parlamentares do PMDB, Edinho negou que a ação tivesse como alvo algum partido específico.

Ele lembrou que as investigações da operação Lava Jato já atingiram outros partidos.

Edinho reconheceu que as investigações de lideranças importantes do país tendem a aumentar a instabilidade política, mas assegurou que a posição do governo é de que todos os fatos devem ser apurados.   Continuação...

 
Ministro da Comunicação Social, Edinho Silva, dá entrevista coletiva no Palácio do Planalto, em Brasília. 31/03/2015 REUTERS/Ueslei Marcelino