Bovespa fecha em leve alta após rebaixamento pela Fitch e elevação dos juros nos EUA

quarta-feira, 16 de dezembro de 2015 18:18 BRST
 

Por Paula Arend Laier

SÃO PAULO (Reuters) - O principal índice da Bovespa encerrou em alta nesta quarta-feira, mesmo após a agência de classificação de risco Fitch retirar o grau de investimento do Brasil e com os ajustes de fechamento refletindo as reações iniciais à primeira alta dos juros nos Estados Unidos em quase uma década.

O Ibovespa subiu 0,32 por cento, a 45.015 pontos.

O volume financeiro somou 22,45 bilhões de reais, inflado pelas operações relacionadas aos vencimentos de opções sobre o Ibovespa e do índice futuro.

O índice de referência do mercado acionário brasileiro tocou a mínima do dia, em queda de 1,7 por cento, logo após a Fitch cortar o rating do país em um degrau, de 'BBB-' para 'BB+', com perspectiva negativa, citando recessão mais profunda do que o antecipado, dificuldade no quadro fiscal e aumento das incertezas políticas.

O impacto da notícia, porém, foi efêmero, com o Ibovespa logo retomando os níveis pré-anúncio e passando ao território positivo na sequência até pouco antes do fechamento, quando voltou a oscilar ligeiramente no vermelho.

Na visão de profissionais da área de renda variável, a reação foi contida pois o rebaixamento já estava no preço, em grande parte devido às últimas decisões do governo federal ligadas às contas públicas, com a alteração da meta de superávit primário para 2016.

A questão agora entre agentes financeiros é sobre o efeito nos fluxos de capital, uma vez que a perda do grau de investimento por uma segunda agência da rating --a S&P rebaixou o Brasil em setembro-- pode obrigar gestores a retirar recursos do país, embora o fato de muitos fundos já estarem com posições "underweight" possa atenuar uma pressão vendedora mais forte.

"Era apenas uma questão de tempo mesmo", resumiu o gestor Eduardo Roche da Canepa Asset Management, referindo-se ao rebaixamento da nota brasileira.   Continuação...