ANTT aprova reajuste em tarifas de pedágios de rodovias de Arteris e Triunfo

quinta-feira, 17 de dezembro de 2015 11:24 BRST
 

SÃO PAULO (Reuters) - A Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) aprovou reajustes de tarifas de pedágio em rodovias administradas pelas concessionárias de infraestrutura Arteris e Triunfo Participações, segundo resoluções publicadas no Diário Oficial da União nesta quinta-feira.

A tarifa básica de pedágio para automóveis da rodovia BR-116/SP/PR (São Paulo-Curitiba), administrada pela Concessionária Autopista Régis Bittencourt, da Arteris, passou de 2 para 2,50 reais, com vigência a partir de 29 de dezembro.

A agência também aprovou o reajuste da tarifa básica de pedágio da rodovia BR-381/MG/SP, trecho Belo Horizonte - São Paulo, da Autopista Fernão Dias, da Arteris. A tarifa de automóveis passou de 1,60 para 1,80 real nas praças de Mairiporã (SP), Vargem (SP), Cambuí (MG), Careaçu (MG), Carmo da Cachoeira (MG), Santo Antônio do Amparo (MG), Carmópolis de Minas (MG) e Itatiaiuçu (MG), a partir do dia 19.

Também houve reajuste na rodovia BR-116-PR/SC, trecho Curitiba - divisa SC-RS, explorado pela Autopista Planalto Sul, da Arteris. A tarifa para automóveis foi reajustada de 4,10 reais para 4,80 reais, nas praças de Mandirituba (PR), Campo do Tenente (PR), Monte Castelo (SC), Santa Cecília (SC) e Correia Pinto (SC), também a partir de 19 de dezembro.

Houve ainda reajuste na rodovia BR-153/SP, trecho Divisa MG-SP - divisa SP-PR, explorado pela Transbrasiliana, da Triunfo Participações. A tarifa para automóveis passou de 3,70 reais para 4,30 reais nas praças de Onda Verde, José Bonifácio, Lins, Marília (SP) a partir de 18 de dezembro.

A Transbrasiliana também poderá aplicar novo reajuste após a submissão de projeto executivo para a obra de duplicação de pista do trecho da rodovia BR-153/SP entre os quilômetros 0 e 51,7 e da travessia urbana de São José do Rio Preto, com respectiva análise e aprovação da agência. Após essa medida, a tarifa passará de 4,30 e 7,70 reais nas mesmas praças de pedágio.

(Por Luciana Bruno)