Dólar cai 0,90% sobre real após Fed elevar juro e reforçar que alta será gradual

quinta-feira, 17 de dezembro de 2015 17:16 BRST
 

SÃO PAULO (Reuters) - O dólar fechou em queda em relação ao real nesta quinta-feira, após o Federal Reserve, banco central norte-americano, elevar os juros e indicar que a trajetória de alta deve ser gradual, como esperado.

O dólar recuou 0,90 por cento, a 3,8893 reais na venda, após subir 1,24 por cento na véspera.

Embora juros mais altos tendam a atrair para os EUA recursos aplicados no Brasil, operadores entenderam a decisão como uma demonstração de confiança na economia norte-americana e reagiram comprando ativos de risco. Ao mesmo tempo, receberam bem a perspectiva de aperto monetário lento.

"Para o mercado, esse é o melhor dos mundos", resumiu o gerente de câmbio da corretora Treviso, Reginaldo Galhardo.

O dólar futuro, que já havia se ajustado à decisão do Fed após o fechamento do mercado à vista na véspera, subia cerca de 0,3 por cento.

Investidores continuaram preocupados com o cenário político e econômico no Brasil, em meio a expectativas de que o ministro da Fazenda, Joaquim Levy, deixe o governo e enquanto o Supremo Tribunal Federal (STF) avalia o rito do processo de impeachment contra a presidente Dilma Rousseff.

"Acredito que o viés do dólar ainda é de alta, mas não com muita intensidade", disse o operador da corretora Spinelli, José Carlos Amado. "O ano foi muito longo e o mercado quer dar algum respiro".

Na véspera, a Fitch tornou-se a segunda agência de classificação de risco a retirar o selo de bom pagador internacional do Brasil, argumentando, entre outros pontos, que o processo de impeachment aumenta a incerteza política. Operadores ressaltaram, porém, que muitos investidores já esperavam que isso ocorresse.

"Talvez vejamos ainda alguma pressão no fim do ano, porque muita gente precisa fazer ajustes na carteira para fechar o balanço de 2015. Mas se você olha para o mercado, ele já vem se comportando como grau especulativo há tempos", disse o operador de uma corretora internacional.   Continuação...