Bovespa tem 3o pregão de alta com mercado de olho em rito de impeachment

quinta-feira, 17 de dezembro de 2015 17:43 BRST
 

Por Priscila Jordão

SÃO PAULO (Reuters) - A Bovespa teve sua terceira alta consecutiva nesta quinta-feira, com o mercado acompanhando discussões sobre o rito de impeachment no Supremo Tribunal Federal (STF) e ajustando-se ao avanço dos índices norte-americanos na véspera, quando a primeira alta do juro norte-americano em quase uma década foi interpretada como sinal de confiança na maior economia do mundo.

O Ibovespa subiu 0,55 por cento, a 45.261 pontos, longe da alta de 2,7 por cento registrada no melhor momento do dia. O giro financeiro foi de 5,89 bilhões de reais.

A elevação dos juros pelo Federal Reserve na véspera acabou impulsionando os mercados globais e a Bovespa pela manhã, com o banco central norte-americano destacando que o ciclo de aperto agora iniciado será "gradual".

"Ficamos muito tempo falando de uma alta do juro, saiu a decisão esperada e não foi tão traumática", disse o gerente de renda variável da H.Commcor, Ariovaldo Santos.

Contudo, as bolsas norte-americanas tiveram nesta quinta-feira um dia negativo, após a alta da véspera, o que reduziu os ganhos da bolsa brasileira.

Enquanto isso, no noticiário doméstico, repercutiu a decisão do ministro Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal (STF), de contrariar a maioria das teses do governo da presidente Dilma Rousseff sobre a tramitação de um processo de impeachment. Ele considerou legítima a sessão da Câmara dos Deputados que elegeu chapa alternativa apoiada pela oposição para compor a comissão que analisará o impedimento.

Com isso, a expectativa de mudanças no campo político ajudou a impulsionar a Bovespa, segundo operadores. As discussões sobre o rito de impeachment continuam nesta quinta-feira no STF. Até o momento, cinco ministros discordaram e dois concordaram com Fachin, que em seu voto disse que o Senado não tem a prerrogativa de rejeitar a instauração de processo de impeachment contra a presidente após autorização da Câmara.

  Continuação...