Moody's diz que margem de lucro dos produtores de carne bovina dos EUA será menor em 2016

quinta-feira, 17 de dezembro de 2015 19:45 BRST
 

(Reuters) - As margens de lucro dos produtores norte-americanos de carne bovina sofrerão uma redução em 2016, devido à alta do dólar, ao enfraquecimento da demanda em países emergentes e à concorrência doméstica com as carnes mais baratas, como suína e de frango, disse nesta quinta-feira a agência Moody's.

Apesar do aumento da oferta no mercado interno ante os níveis de 2010, os preços da carne bovina continuam comparativamente mais altos do que os de aves e suínos, tornando estas últimas opções mais viáveis para os consumidores norte-americanos, disse o vice-presidente e analista sênior de crédito da Moody's Brian Weddington, em relatório divulgado a investidores.

"Os preços da carne bovina nos EUA têm aumentado de maneira contínua desde 2010, com a seca restringindo a oferta de gado. Ao mesmo tempo, os preços baixos do frango e a queda nos preços da carne suína afastaram as pessoas do gado, pressionando ainda mais os preços no varejo", disse.

A Moody's prevê que os "os volumes vendidos comecem a melhorar no fim de 2016", com o abate de gado mais gordo por causa da queda no preço das rações, mas não o suficiente para reduzir todas as perdas, disse a Moody's em relatório.

O aumento dos volumes deve ajudar as grandes produtoras, como a Tyson Foods e a JBS USA, subsidiária da JBS, continuarem lucrativas, mas as margens continuarão mais baixas devido a outras condições desafiadoras no primeiro semestre do ano que vem.

Já no mercado externo, as exportações de carne bovina dos Estados Unidos perderam competitividade por causa do dólar forte, o que acirrou a concorrência com exportadores como Austrália, México e Canadá na disputa por mercados importantes como a China, segundo o relatório.

(Por Natália Scalzaretto, em São Paulo)