IPCA-15 acelera alta em dezembro e fecha 2015 subindo quase 11%, maior em 13 anos

sexta-feira, 18 de dezembro de 2015 10:00 BRST
 

Por Camila Moreira

SÃO PAULO (Reuters) - Os preços de alimentação e transportes subiram com mais força em dezembro e a prévia da inflação oficial encerrou o ano acumulando alta de quase 11 por cento, a maior em 13 anos e colocando cada vez mais pressão sobre o Banco Central para elevar os juros básicos novamente.

O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo-15 (IPCA-15) subiu 1,18 por cento em dezembro, contra alta de 0,85 por cento em novembro, divulgou o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) nesta sexta-feira. Trata-se da taxa mensal mais alta para o mês desde 2002 (+3,05 por cento).

O resultado levou a alta acumulada do IPCA-15 neste ano a 10,71 por cento, maior taxa anual desde 2002, quando encerrou a 11,99 por cento. O período de coleta do IPCA-15 vai do dia 15 do mês anterior ao dia 15 do mês corrente.

O resultado indica que a inflação oficial medida pelo IPCA vai fechar 2015 bem acima do teto da meta do governo, de 4,5 por cento com tolerância de 2 pontos percentuais para mais ou menos.

Na véspera, o presidente do BC, Alexandre Tombini, informou que na carta que terá que escrever para justificar o estouro da meta vai reforçar o peso exercido pelo ajuste intenso de preços relativos na economia.

Afirmando que o Brasil vive momento de aperto na política monetária, ele destacou que o objetivo é fazer a inflação convergir para o centro da meta de 4,5 por cento em 2017, ficando no limite de tolerância do regime de metas em 2016.

A expectativa em pesquisa da Reuters para o resultado de dezembro do IPCA-15 era de alta de 1,11 por cento na base mensal e de 10,64 por cento em 12 meses.

  Continuação...