Índia reduz estimativa de crescimento de 2015/16 para 7% a 7,5%

sexta-feira, 18 de dezembro de 2015 10:15 BRST
 

Por Manoj Kumar

NOVA DÉLHI (Reuters) - A Índia cortou suas previsões de crescimento econômico para o ano nesta sexta-feira, citando a fraca demanda global e uma produção agrícola menor, e pediu reformas mais rápidas e uma revisão das políticas monetária e fiscal para reanimar a atividade econômica.

Em revisão de meio de ano, o governo do primeiro-ministro Narendra Modi disse que a economia deve expandir 7 a 7,5 por cento no ano fiscal encerrado em março de 2016, abaixo da estimativa anterior de 8,1 a 8,5 por cento anunciada em fevereiro.

Ainda assim, o país vai continuará sendo a grande economia de crescimento mais rápido do mundo, já que o Produto Interno Bruto (PIB) da China encontra dificuldades para se manter próximo do ritmo de 7 por cento prometido por seus líderes.

O governo disse que a terceira maior economia da Ásia está sendo afetada pela fraqueza dos gastos corporativos, baixa demanda global e duas secas sucessivas que afetaram a produção agrícola, e afirmou que uma significativa melhora é improvável a menos sejam realizadas reformas tributárias e do setor financeiro.

"A melhora no crescimento tem sido irregular, promovida apenas pelo consumo privado e investimento público", disse o governo.

"Para levar a Índia rapidamente a sua trajetória de crescimento de médio prazo, reformas do lado da oferta e gerenciamento da demanda serão essenciais."