Dólar sobe 1,5% ante real por cena política e saída de Levy

sexta-feira, 18 de dezembro de 2015 17:22 BRST
 

Por Flavia Bohone

SÃO PAULO (Reuters) - O dólar fechou em alta de quase de 1,5 por cento sobre o real nesta sexta-feira, após o Supremo Tribunal Federal (STF) dar mais fôlego à presidente Dilma Rousseff no processo de impeachment e em meio aos crescentes rumores sobre a saída do ministro da Fazenda, Joaquim Levy, e a expectativa sobre sua substituição.

O dólar avançou 1,48 por cento, a 3,9468 reais na venda, maior patamar de fechamento desde 1º de outubro (4,0024 reais). Na semana, o dólar acumulou alta de 1,88%.

Uma fonte do Palácio do Planalto afirmou à Reuters, após o fechamento do mercado, que o atual ministro do Planejamento, Nelson Barbosa, assumirá a Fazenda.

Com isso, o dólar futuro acelerou a alta e subia mais de 2 por cento sobre o real.

O movimento de alta do dólar chegou a perder força durante o fim da manhã e início da tarde, por fluxos pontuais e liquidez baixa, mas os receios em torno do cenário político e econômico voltaram ao foco dos investidores e a moeda norte-americana voltou a acelerar os ganhos sobre o real.

Os investidores reagiram às notícias sobre a saída do ministro Levy, após diversos atritos com a presidente Dilma Rousseff, sobretudo quanto ao ajuste fiscal. A troca de Levy não é bem recebida pelo mercado, uma vez que o ministro é um dos maiores defensores do ajuste fiscal dentro do atual governo.

Barbosa, por sua vez, é visto como um perfil mais desenvolvimentista e vinha se posicionando contra ajustes fiscais muito austeros.

"A grande preocupação é com o tipo de mudança que vai querer se implementar na economia. O receio é que o governo vá numa direção mais expansionista, de tentar impulsionar a economia com mais estímulos econômicos", disse mais cedo o economista da Tendências Silvio Campos Neto.   Continuação...