Barbosa repete a investidores que foco da política econômica será ajuste fiscal

segunda-feira, 21 de dezembro de 2015 13:56 BRST
 

BRASÍLIA (Reuters) - O novo ministro da Fazenda, Nelson Barbosa, reforçou nesta segunda-feira que a direção da política econômica continuará a mesma, após assumir o posto no lugar de Joaquim Levy, com foco no ajuste fiscal e redução da inflação, em meio à reação negativa do mercado sobre sua nomeação.

Em teleconferência em inglês com investidores nacionais e estrangeiros antes da sua posse oficial, marcada para às 17h, Barbosa repetiu o compromisso com a meta de superávit primário equivalente a 0,5 por cento do Produto Interno Bruto (PIB) em 2016 e defendeu diversas vezes a reforma da Previdência, considerada "crítica".

Segundo ele, o governo não quer apenas "mandar" a proposta da reforma da Previdência ao Congresso, mas sim aprová-la. Ele argumentou que há "consenso crescente" sobre a necessidade de inclusão do critério de idade mínima na concessão de aposentadorias.

Barbosa também defendeu a necessidade de haver reforma tributária.

A ideia de fazer uma teleconferência com investidores veio para tentar dissipar as desconfianças que a sua indicação à Fazenda alimentou, com temores de que o ajuste fiscal seria deixado de lado, mas não surtiu efeito imediato.

Durante sua fala, o dólar ampliou a alta e voltou ao patamar de 4 reais, enquanto a Bovespa ampliou a queda. [nL1N14A11F]

"O problema não foi o que ele disse, mas o que ele não disse", afirmou o estrategista de renda fixa da corretora Coinvalores, Paulo Celso Nepomuceno, para quem faltaram sinalizações mais incisivas de austeridade fiscal nas declarações de Barbosa.

"O discurso foi basicamente o mesmo de antes (de sexta-feira), mas o mercado está convencido de que as coisas vão mudar para pior."

A escolha de Barbosa, anunciada na sexta-feira, foi entendida como uma clara sinalização de que a presidente Dilma Rousseff pretende promover mudanças na política econômica. Barbosa tem pensamento mais alinhado ao de Dilma, com maior foco na retomada do crescimento em meio ao agravamento da recessão e da crise política. [nL1N1472XR]   Continuação...

 
Ministro da Fazenda, Nelson Barbosa, durante evento no Palácio do Planalto, Brasília.  20/07/2015    REUTERS/Ueslei Marcelino