BC prevê déficit em transações correntes menor em 2016, com ajuda de balança comercial

segunda-feira, 21 de dezembro de 2015 13:32 BRST
 

BRASÍLIA (Reuters) - O Banco Central vê o déficit em transações correntes do país caindo a 41 bilhões de dólares em 2016, contra rombo estimado em 62 bilhões de dólares em 2015, numa melhora puxada fundamentalmente pelo desempenho da balança comercial em meio ao cenário de recessão e dólar elevado.

Para o próximo ano, o BC vê superávit comercial de 30 bilhões de dólares, o dobro do que deve ser observado neste ano, conforme informou nesta segunda-feira.

Em coletiva de imprensa, o chefe do Departamento Econômico do BC, Tulio Maciel, chamou a atenção para a expectativa de estabilização nas exportações em 2016 ante 2015, após queda observada neste ano, afetada pelo mergulho no preço das commodities.

"Boa parte das nossas commodities estava com preço mais baixo, isso tira um pouco de espaço para que recuos venham novamente a se repetir", disse. Ele avaliou ainda que, em relação às importações, novo declínio deve ser visto em 2016, na esteira da fraca atividade econômica.

O BC enxerga exportações de 190 bilhões de dólares tanto no ano que vem como neste ano, contra 224,1 bilhões de dólares em 2014. Em relação às importações, vê uma soma de 160 bilhões de dólares em 2016, contra 175 bilhões de dólares em 2015 e 230,6 bilhões de dólares no ano passado.

Com a balança comercial ajudando a diminuir o saldo negativo em conta corrente, a expectativa é que esse déficit seja totalmente coberto pelo Investimento Direto no País (IDP), que deve chegar, pelas contas do BC, a 60 bilhões de dólares em 2016.

Segundo Maciel, o fluxo esperado de IDP segue "bastante expressivo", ainda que 6 bilhões de dólares mais modesto do que o enxergado para 2015, acrescentando que esses investimentos têm se mostrado consistentes apesar da perda do grau de investimento do Brasil pelas agências Standard & Poor's e Fitch.

"Boa parte disso decorre do fato de que esses investimentos têm uma perspectiva de mais longo prazo. O país continua sendo um mercado atrativo com 200 milhões de consumidores, o preço dos ativos recuou", disse.

Em 2015, o BC estima que um IDP de 66 bilhões de dólares vá cobrir um rombo em transações correntes de 62 bilhões de dólares. As duas cifras foram revisadas pelo BC, que antes via déficit de 65 bilhões de dólares e um IDP de igual montante no ano.   Continuação...

 
Sede do Banco Central, em Brasília.    23/09/2015    REUTERS/Ueslei Marcelino