Minerva vê queda de relação de endividamento para 3x após acordo com grupo saudita

quarta-feira, 23 de dezembro de 2015 16:10 BRST
 

SÃO PAULO (Reuters) - A Minerva Foods, uma das principais exportadoras de bovinos do Brasil, divulgou nesta quarta-feira que espera ver uma redução no nível de endividamento após a conclusão do acordo com a saudita Salic para injeção de capital.

A companhia estimou que após a conclusão do aumento de capital de até 1,55 bilhão de reais seu nível de endividamento medido pela relação dívida líquida sobre Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) cairá para 3 vezes antes 3,8 vezes no final de setembro.

A operação, anunciada inicialmente ente na noite de terça-feira, permitirá à britânica Salic UK, controlada do grupo saudita de mesmo nome, ter 19,95 por cento do capital da Minerva, por meio da subscrição de 48 milhões de ações da empresa.

Com isso, a brasileira BRF, maior exportadora de carne de frango do mundo, deixará de indicar membros para o Conselho de Administração da Minerva, mas a empresa manterá direito a vetos em assembleia geral de acionistas.

Desta forma, o Conselho de Administração da Minerva será formado por cinco membros da família Vilela de Queiroz, três da Salic UK e 2 integrantes independentes. Tanto a família, quanto a Salic estarão impedidos de vender as ações subscritas por dois anos.

As ações da Minerva subiam 4,1 por cento por volta das 16h, enquanto o índice de Small Caps da bolsa paulista, que tem na composição os papéis da empresa, avançava 1,2 por cento.

Em relatório a clientes, analistas do Bradesco BBI afirmaram que o acordo é "altamente positivo para a Minerva" e que a alavancagem de 3 vezes será a menor já registrada pela empresa desde 2012. Os analistas também estimaram que o preço proposto pela Salic no aumento de capital, de 15,60 reais por ação, representa um prêmio de 25 por cento sobre o preço médio do papel nos últimos 60 dias.

A Minerva também estimou que após a operação a dívida líquida vai cair para 3,474 bilhões de reais ante 4,22 bilhões ao final de setembro.

Segundo a companhia, parte do racional da operação é atribuída à recente abertura do mercado saudita a importações de carne do Brasil. "O acordo com a Salic UK abre oportunidades de distribuição e processamento de carne bovina na região do Oriente Médio", disse a empresa em apresentação ao mercado.   Continuação...