Aneel propõe variação de R$25 a R$55/MWh em custo com bandeira tarifária em 2016

quarta-feira, 23 de dezembro de 2015 18:01 BRST
 

SÃO PAULO (Reuters) - As bandeiras tarifárias, que elevam as contas de energia elétrica quando há escassez no sistema, poderão representar um custo extra para os consumidores de 25 reais a até 55 reais por megawatt-hora em 2016, segundo sugestão da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), que elevou o teto para a cobrança adicional.

Atualmente, o custo com as bandeiras tarifárias varia de 25 reais a 45 reais por MWh.

Pela proposta colocada em audiência pública, o primeiro patamar de cobrança extra, a bandeira amarela, será acionado nos meses em que o custo de operação da termelétrica mais cara em funcionamento no país for igual ou superior a 211,28 reais por megawatt-hora.

Com a bandeira amarela em vigor, a tarifa tem acréscimo de 25 reais por megawatt-hora.

Já a bandeira vermelha será dividida em dois patamares, com o primeiro deles entrando em vigor quando a térmica mais cara em operação tiver custo igual ou superior a 422,56 reais por megawatt-hora.

O segundo patamar será acionado em caso de uso de térmicas com custo igual ou acima de 610 reais por megawatt-hora.

O adicional nas tarifas será de 40 reais por megawatt-hora no primeiro patamar da bandeira vermelha e de 55 reais por megawatt-hora no segundo.

Hoje, a bandeira vermelha tem um único patamar, que representa custo extra de 45 reais por megawatt-hora.

A bandeira vermelha chegou a ter custo extra de 55 reais por megawatt-hora, mas teve o valor reduzido em agosto deste ano, com a melhora das condições climáticas e o desligamento de parte das térmicas em funcionamento no país.   Continuação...